BACALHAU INSPIRADO

Já que não sou nenhuma gênia da cozinha, resolvi recorrer ao nosso amado google para fazer essa receita de hoje.

Li umas 40 receitas (juro), mas não encontrava nada além do tradicional Bacalhau+Azeite+ Azeitona +Batata +Ovo cozido.

Foi quando recorri a um dos meus maiores inspiradores , Claude Troisgros! (Pra quem não o conhece, ele é chefe de cozinha francês (mává), que apresenta o programa “Que Marravilha” no GNT e é proprietário  dos restaurantes Bistrô 66, CT Brasserie e Olympe, no Rio de Janeiro)  A receita oficial dele chama-se “Bacalhau Espirituoso”  e vocês podem dar uma conferida.

Mas seria muito sem graça só copiar e saber que daria certo, né?! O que eu mais gosto na cozinha é o toque pessoal! Jogar um pouco do seu feeling e ver no que vai dar!

Minhas cobaias irmãs degustaram minha versão e adoraram! E olha que não foi pra puxar o saco já que sou a mais velha e elas poderiam apanhar comeram e até repetiram!

Bom, vamos ao que interessa:

BACALHAU INSPIRADO

Para o cozimento do bacalhau
Ingredientes:
500g de bacalhau dessalgado
1L de leite
Tomilho, louro e alecrim frescos
½ cabeça de alho com a casca mesmo

Modo de preparo:
Ferva o leite com as ervas e o alho por uns 5 minutos. Cozinhe o bacalhau neste leite, sem deixar ferver, durante 15 minutos com a panela tampada. Retire, deixe esfriar e desfie-o.

Para o Bacalhau
Ingredientes:
5 colheres de sopa de azeite extra virgem
1 cebola média picada
4 dentes de alho picados
1 pimenta Cambuci picada (pode usar a dedo-de-moça, usei essa porque eu já tinha em casa)
½ cenoura ralada na parte mais fininha do ralador
½ tomate sem sementes picado
Sal e pimenta a gosto

Modo de preparo:
Refogue a cebola no azeite, junto com a pimenta e o alho. Acrescente a cenoura e o tomate. Coloque o bacalhau, mexa e tampe para que não resseque por 5 minutos em fogo baixo. Desligue o fogo e tempere com sal e pimenta.

Para o molho Bechamel
Ingredientes:
3 colheres de sopa cheias de farinha de trigo
2 colheres de sopa cheias de manteiga
400ml de leite do bacalhau
1 colher (sopa) mostarda em grãos Dijon
Sal, pimenta e noz-moscada a gosto

Modo de preparo:
Derreta a manteiga junto com a farinha de trigo e deixe cozinhar por 2 minutos. Junte o leite fervendo. Cozinhe mexendo sempre (usei o fouet que deixa mais homogênio) até engrossar bem. Desligue o fogo e junte a mostarda e tempere a gosto.

Para a batata (decoração)
Ingredientes:
1 batata grande
150 ml de azeite para fritar (pode usar óleo, se preferir)

Modo de preparo:
Corte a batata em tiras bem finas (eu usei um dos lados do ralador que deixa ela bem fininha) e coloque-as em uma travessa com água gelada e deixe na geladeira enquanto você prepara todo o resto. (Esse é um dos segredinhos da mamãe para deixá-la mais crocante). Seque-as com um pano de prato ou papel toalha antes de jogá-la no azeite quente. Deixe dourar e coloque-as em papel toalha .

Montagem
Coloque o Bechamel no fundo do prato com o bacalhau por cima. Para enfeitar, coloque as batatas e alguma das ervas que você utilizou no preparo. Além de ficar muito mais bonito, quem vai comer já tem uma idéia do que vai encontrar ao degustar!

Voilà!

“Bacalhau não é peixe. Bacalhau não é carne. Bacalhau é bacalhau”.

Esse ser que vem do mar é muito versátil em termos de vinhos! Pode se dar bem com rosê, tinto, branco, verde, frisante. O que vai definir seu parceiro de copo é o que o acompanhará.

É importante respeitar alguns dos princípios clássicos da harmonização enogastronômica: o sabor salgado acentua o amargor, dessa forma,  sal e tanino são opostos. Sendo assim, fuja dos vinhos tintos muito tânicos e jovens.

Pratos mais elaborados, que usam alho, brócolis, pimentão, pedem vinhos mais estruturados, como por exemplo, um tinto vindo do Douro ou do Dão (regiões de Portugal) um pouco envelhecidos, são uma boa opção.

Se sua escolha for pela clássica posta de bacalhau com azeite ou um bolinho de bacalhau, estes clamam pelo o Vinho Verde D.O.C. (Denominação de Origem Controlada), que também é uma região dos irmãos da língua portuguesa.

Para esse prato tive que super concordar com e escolha do Claude que optou por um vinho também português , mas de uvas brancas (Encruzado, Bical, Cercial, Malvasia Fina), um pouco mais estruturado, já que o prato é rico em ingredientes e sabores diversos (leite, especiarias, ervas frescas).
O escolhido foi o Duque de Viseu Branco – Quinta dos Carvalhais, um vinho fresco, com notas minerais, ervas e frutas brancas cítricas. Ele pode ser encontrado na Zahil por R$57,00.

Espero também servir de inspiração para vocês nessa Páscoa!

Anúncios